sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

por você

Quando eu vejo você abaixar os seus olhos como se os outros olhares fossem tão fortes ao ponto de te cegar, eu finjo não acreditar. Eu tento de todas as formas te dizer que “olha, está tocando aquela música”, mas você não escuta. Não quer ouvir ninguém que possa te dizer que sim, tem muita coisa lá fora. Eu me afasto e te deixo curtir esse medo, só pode ser medo. Mas olha, não há motivos. Talvez você só tenha acreditado nas pessoas erradas e eu posso te contar um segredo? A pessoa errada pode ser qualquer um. Já sabe onde eu quero chegar? Todo mundo acredita nas pessoas erradas. Eu sou uma delas e você também. Mas como a gente vai chegar em algum lugar se não for de mãos dadas?
Eu quero que você aceite isso de uma vez por todas: tem muita coisa lá fora. Só depende de você achar o que vai te ajudar a levantar esses olhos novamente, porque, é sério, eles não combinam com a sua roupa. E eu já passei por isso, uma pausa na história, parecida com a Guerra Fria, mas o mundo desconhecia tudo o que acontecia dentro de mim. Você pode ter certeza: esses dois pólos que brigavam dentro de mim, nunca serão tema d’uma aula de história. Isso me fez pensar que realmente, essa briga era desprezível para o mundo e dane-se. Eu tinha que me dar uma trégua, porque ninguém faria isso por mim.

Eu não achei o motivo pra uma trégua no outro. Ele é tão errado quanto eu. Você também não vai achá-lo em você, no seu vizinho, ou no seu amor. Você precisa recomeçar por aqueles que você não vê, mas estão te esperando, como aqueles donos de casas teimosas (que saem para tomar banho de chuva e se perdem). Depois que as casas voltam ao barro, os donos aparecem na TV dizendo que perderam tudo. Mas o jornalista ainda acha que pode sugar alguma coisa de quem já perdeu tudo e pergunta o que pode acontecer pela frente. Geralmente, as pessoas querem se revoltar com a chuva, mas elas sabem que é em vão e por isso, elas dizem: O jeito é recomeçar, né? É o único jeito. Por você, pelo amanhã, pelo grito entalado aí dentro, por Paris, por Deus! RE-CO-ME-ÇAR! Por mim.


ps: no dia que eu descobri o significado da palavra recomeço nos olhos tristes de uma amiga, que não combinavam com as roupas dela.

Um comentário: