segunda-feira, 20 de junho de 2011

Se tem pote de ouro...


no fim do arco-íris mesmo, eu não sei. Mas, se a gente tentar pôr cor em tudo, algo bom - no fim- haverá de existir.

Confesso...

que tenho demorado muito em te escrever. É que derivo sempre, pensando se você espera ansiosamente as cartas ou se nem ao menos as lê. Eu não sei. Mas mesmo assim, com demora, escreverei. Sinto que preciso disso, debruçar os fatos nessas linhas, pois o TALVEZ tem me confortado. Não que eu goste...é verdade, não gostava nada. É que não havia precisado dele ainda. E quando o sim não existe mais, te digo : prefiramos o talvez !
Tenho que te falar sobre os meus dias...estão mais calmos, sabe? Cheios de coisas boas. Mas não escreverei sobre elas aqui, pois sei que você reclamaria, acharia tudo melancólico...
Tem muitas pessoas. Não tantas quanto antes, mas não considero que isso seja ruim. Minha mãe sempre diz: "Onde há ser humano, há erros." Quanto menos, também menos erros, não é? Já bastam os meus.
Estes dias achei que iríamos nos encontrar, quem...Em algum pôr-do-sol. Digo pôr-do-sol para ser bem bonito, mesmo sem ter nada de inovador. Queiramos apenas coisas bonitas e de tanto querer, acontecem. Quem me ensinou isso foi você, quando inventava seus assuntos de subconsciente e sempre terminava dizendo: "-As armas mais poderosas, meu bem, são impalpáveis."
Quero muito.
Minhas cartas sempre são meio assim, tristes. Mas, eu sorrio. Sempre. É que quando preciso expor algo, não tenho medo. O problema das pessoas é o medo de expor e isso de guardar tudo não dá certo. As vezes não cabe tanto em nós e é mais seguro esvaziar aos poucos do que deixar que tudo exploda de uma vez. É perceptível que esse medo não é o meu.
Ah, e quando ler, SE ler, me retorne.
Desta vez, não peço que retorne. Quero muito ainda acreditar em qualquer pôr-do-sol.

é, segunda...


que coisa mais chata !
Mas, estou aqui para avisar a vocês da minha parceira no blog : A Irlene ! Uma pessoa que eu admiro muito muito...então, se vocês lerem algum texto que não é meu, é dela, rs
é para diversificar um pouco, sabe ? E eu estou meio sem tempo , por esse ano todo, acho eu ;S Esse texto aí de baixo, é dela ...
Contudo, sempre que puder,estarei aqui (:


Margaridas para vocês pois são receptivas e é para contrariarem esse dia da semana ! E a chuva...por nada,só porque eu gosto mesmo.

E para completar, só em trechinho do um dos meus livros preferidos : As Meninas (Lygia Fagundes Telles). Está aí :
'' - Você está triste, Coelha? Fica contente, amor, fica contente. Eu queria tanto que as pessoas todas fossem mais contentes, é tão bom ficar contente. A gente vê na rua todo mundo tão triste, por que as pessoas estão tristes? Ahn? Queria tanto sair por aí alegrando as pessoas, olha, não fique triste, segura minha mão e vem comigo que te mostro o jardim da alegria ..."
Beijos, galera ;*

sábado, 4 de junho de 2011

Quando...

a gente sente muito, o gelo se derrete. Épreciso cuidado, pois se encher, vaza pelos olhos.

Uma hora toda essa pluralidade acaba

" E nós somos cada um, e cada um se faz em muitos. E muitos são tantos mundos. E o mundo é um,é somente, só. "