terça-feira, 8 de março de 2011

Mais uma conversa com o Jorge


Sabe o que é Jorge? É que foi juntando todas aquelas coisas, lembra? E eu decidi colocar para fora aquelas lágrimas que jamais coloquei. Não havia mostrado para ninguém, nem à mamãe. Mas, foi um choro calmo, fininho, fraco. Sem pressa, Jorge. Sem pressa. Mas, quando eu terminei, sorri para o espelho. Sorri muito. É bem mais gostoso abrir a boca do que comprimí-la.
Eu sorrio bem, sabia? Você também. Jorge, sorri para mim !?